Pregão 83/2008: atualização do sistema operacional


#1

Bom dia. Sou Daniel Prado, engenheiro de computação e entusiasta do mundo open source. Trabalhei como professor nos laboratórios de informática em Várzea Paulista/SP por 6 meses e me deparei com muitas dificuldades. As piores: software e hardware obsoletos e “amarração” com software e hardware privado para a configuração multi terminal (aliás, como correção, quero deixar claro que o termo correto é multiseat).

A configuração multiseat já é um erro, por si só. Os laboratórios deveriam ter um computador para cada seat (conjunto teclado, monitor e mouse). Pra piorar, escolheram software privado (userful multiplier) para que essa configuração funcionasse. Essas escolhas quase que eliminaram a possibilidade de atualização das máquinas. Quase…

Então, surge o LE 6, com um multiterminal (o correto é multiseat!) open source. Testei pessoalmente a atualização e achei muito bacana. Porém, a escolha da configuração matou de vez a possibilidade de atualização das máquinas do pregão 83/2008, pelo menos para os laboratórios que conheci (processador fraco e memória princial de 1 GB). A configuração escolhida foi uma arquitetura x64, com LightDM (esse aqui OK) e um ambiente gráfico GNOME 3!!! Qual é! Os responsáveis pelas escolhas não conheciam a realidade desses laboratórios antes de definir esse ambiente como melhor escolha?

Enfim… eu não podia deixar de dar aula aos meus alunos (EJA, foco no mercado de trabalho) por conta desses fatos. Minha solução foi fazer uma atualização por conta. Aqui entra a parte interessante, o que realmente quero passar adiante.

Atualizei as máquinas usando o seguinte ambiente: Lubuntu 18 com LigthDM e LXDE, arquitetura x86. Para a configuração do multiseat, desenvolvi configuração manual do Xorg para o controle das telas, a facilidade loginctl, do SystemD, para a associação de teclado, mouse e monitor a um determinado seat, enquanto que o LightDM rege toda a opera.

Enfim, é possível fazer a atualização. Se o upgrade de memória for possível (+ 1 GB), o sistema roda muito bem. E o Lubuntu 18 tem um longo termo de suporte por parte dos desenvolvedores, sem falar das facilidades de upgrade para futuras versões.

Considero essa informação extremamente útil aos professores. Infelizmente, meu contrato no município se encerrou antes que eu pudesse de fato finalizar tudo (corrigir bugs e pontos que considero como problemas). De qualquer forma, vou disponibilizar os arquivos de configuração que desenvolvi para que outros possam dar continuidade, se assim desejarem.


#2

Olá Daniel Prado,

Achei interessante sua postagem. Eu havia feito uns testes em uns multiterminais com o Lubuntu 18. No meu caso, vi que estava surgindo uns bugs quando abria o Libreoffice e o aplicativo GCompris.
Parecia ser uma espécie de erro gráfico, mas como não consegui solucionar o problema, deixei com Lubuntu 16.04 32 bits que está rodando levinho em uns quatro laboratórios de escolas do município onde moro.
Pena que não consegui fazer funcionar em 5 monitores do Proinfo Rural.
Uma pena mesmo, porque o pessoal do C3sl criou essa versão do Linux Educacional 6.1 em 64 bits apenas e conforme você mencionou acima, 1 GB de RAM não dá para a gente se meter a instalar qualquer versão 64 bits porque não vai aguentar o tranco.

Gostaria de saber:

  • Você testou esses aplicativos pesados juntos e se deu tudo certinho em duas ou três telas?

  • Seria possível você nos ajudar de forma que essa versão do Lubuntu funcionasse em cinco monitores?

Obrigado,
Parabéns por sua iniciativa!